Hormônios
Leia também:
Resguardo e Sexo no Pós-Parto
Posições
Sexo sem Riscos
E nos últimos meses?

Os hormônios mais importantes envolvidos na sustentação da gravidez são a progesterona e o estrogênio. O aumento das quantidades de progesterona e estrogênio circulando no corpo é imediato e dramático.
O nível de progesterona sobe para 10 vezes o que era antes da concepção, enquanto a quantidade de estrogênio produzida num único dia é equivalente à produzida pelo ovário de uma mulher não grávida em 3 anos. Durante o período de gravidez, a gestante produzirá tanto estrogênio quanto uma mulher não grávida poderia produzir em 150 anos.
Um dos efeitos do crescimento dos níveis de estrogênio durante a gravidez é o aumento do fluxo de sangue, especialmente na área pélvica. Por isso, a vagina e suas dobras, os lábios, tornam-se levemente distendidos e intumescidos. Este fator, que normalmente ocorre somente durante o excitamento sexual, tornam os terminais nervosos sensoriais supersensíveis, resultando em rápida excitação.
A sensibilidade aumentada dos seios os torna um foco de excitação sensorial, e uma mulher pode sentir as sensações mais intensas quando seus mamilos e seios são acariciados e beijados pelo seu parceiro.
Devido ao aumento do fluxo sangüíneo, as secreções vaginais são muito profusas. Portanto, a gestante geralmente torna-se pronta para a penetração muito mais cedo do que o usual.
A mulher, desta forma, pode passar a achar o sexo bem mais excitante e satisfatório que antes de engravidar. De fato, uma mulher poderá conseguir orgasmo pela primeira vez ou, até mesmo, orgasmos múltiplos nesta fase.
Esta sexualidade acentuada é principalmente conseqüência dos altos níveis de hormônios.
A mulher pode fazer amor sempre que quiser, desde que não seja com muito rigor e que não haja razões médicas para se privar dele. Sexo na gravidez é muito prazeroso e ajuda a prepará-la para o nascimento do bebê, mantendo os músculos pélvicos fortes e flexíveis.
Em algumas gestações de risco, relações sexuais devem ser evitadas totalmente, ou em alguns períodos. Seu médico advertirá se a atividade sexual for um risco para sua gravidez e aconselhará sobre o que é seguro. Peça para que ele lhe explique o problema de forma clara e objetiva, esclarecendo o que você pode ou não fazer.

É mentira dizer que o sexo pode causar infecção durante a gravidez e danos ao bebê.
Seu bebê está totalmente protegido. A cérvice é fechada por um muco rijo que impede a entrada de bactérias no útero. Além disso, o bebê está completamente fechado dentro do saco amniótico, que resiste à ruptura mesmo quando sob grande pressão e amortece contra quaisquer forças externas.

---

Resguardo e Sexo no Pós-Parto

Cuidar de seu bebê recém-nascido será provavelmente mais difícil do que você esperava. Em primeiro lugar, trabalho de parto e nascimento são física e emocionalmente extenuantes; em segundo lugar, você descobrirá que um dia de trabalho se sucede ao outro quase sem descanso.
Conseguir repouso suficiente é muito importante – um bebê novo raramente permitirá que você durma por mais de quatro horas seguidas durante a noite; portanto aprenda a cochilar. Sua dieta também é muito importante, especialmente se você amamentar no seio. Continue a comer tão bem quanto durante a gravidez, e beba muito líquido.

Você provavelmente não terá vontade de fazer sexo nos primeiros dias, ou mesmo semanas, depois de dar à luz, porque a exaustão física do parto e as mudanças drásticas nos níveis hormonais após o nascimento se associam para inibir o desejo sexual. A falta inicial de interesse em sexo é ao mesmo tempo natural e desejável, porque seu corpo necessita de tempo para se recobrar das mudanças e do estresse da gravidez e do parto, e você precisa de tempo para se ajustar a seu bebê.
Muitas mães pela primeira vez, se abstêm de sexo completamente depois que o bebê nasce. Isto em geral dura 2 meses, mas pode se prolongar por mais tempo.
Converse com seu parceiro – ele provavelmente será compreensivo.
A chegada do bebê também pode ter um efeito desanimador sobre a libido do seu parceiro. Não é incomum para um pai sentir falta de desejo e mesmo ter problemas para manter uma ereção. Alguns homens que assistem um parto podem achar que estão afastados do sexo por um período. Isto é normal e não deve haver preocupação, pois o desejo ou impulso sexual retornará naturalmente.
Ele poderá achar difícil se ajustar a seu duplo papel, algumas vezes contraditório, de pai e amante.
Vocês devem estar preparados para esses problemas e não encara-los como puramente pessoais. Conversem bastante, sejam pacientes e compreensivos um com o outro.
Alguns casais por outro lado, Alguns casais acham que o sexo é melhor do que nunca após o nascimento de seus bebês, talvez devido aos exercícios da base pélvica da mãe.
acham que o sexo é melhor do que nunca após o nascimento de seus bebês, talvez devido aos exercícios da base pélvica da mãe.

Antigamente, os casais eram avisados que deveriam interromper o sexo seis semanas antes da data esperada para o parto e abster-se dele durante seis semanas após. Esse conselho, aceito durante muito tempo, hoje vem sendo considerado uma precaução desnecessária. A opinião geral atualmente é de que a penetração sexual pode continuar até o final da gravidez se vocês assim o desejarem – desde que não haja razões médicas para evitá-la e que as relações podem recomeçar assim que vocês quiserem.
Nas primeiras vezes que fizerem amor, deverão evitar a penetração do pênis e permanecer no sexo manual e oral leve. Pode ser que o local da episiotomia leve meses para se tornar indolor. Você precisa ser franca quanto a isso com seu parceiro, procurando formas alternativas de dar e obter prazer.

Se você teve ou não uma episiotomia, uma lubrificação extra é usualmente necessária porque, até que seus níveis hormonais estejam de volta ao normal, sua vagina não se lubrificará tão rápido quanto antes do parto, não importando o tempo de preliminares que vocês tenham.
É importante que seu lubrificante seja indicado por seu médico, para evitar o uso de produtos que possam encorajar o crescimento de bactérias nocivas.

Se você começar a ter relação sexual antes que seus períodos menstruais voltem, não presuma que a ausência de menstruação significa impossibilidade de gravidez. Você ovulará duas semanas antes de seu primeiro período menstrual, portanto, se deixar de usar contraceptivos antes disso, terá esperado demais.
Mesmo se amamentar o bebê no seio, e seus períodos menstruais estiverem ausentes até o desmame, a ovulação ainda pode ocorrer.
Pílulas contendo estrogênio não são prescritas para mulheres que amamentam no seio, porque o estrogênio reduz a produção de leite. Somente “minipílulas” de progesterona podem ser prescritas, pois não inibem a produção de leite, embora seus efeitos sobre os bebês, a longo prazo, ainda não sejam conhecidos. Alguns acreditam que elas pioram a depressão pós-natal por inibir a produção de progesterona.
Por isso, se você estiver amamentando no peito, prefira usar um método de contracepção diferente. Converse com seu médico!

---

Posições

A posição clássica torna-se muito desajeitada e desconfortável. Posições de lado são freqüentemente prazerosas, com também as posições por trás, porque nestas seu abdômen não fica sob a pressão do peso do seu parceiro. Posições sentadas são particularmente interessantes nos últimos meses de gestação e, ainda possibilitam que o casal se olhe, aumentando a intimidade, a emoção e a entrega entre ambos.

A massagem é uma maneira de descobrir o que lhes dá prazer e vocês devem abordar isto com a mente aberta. Ambos podem se surpreender com o quão excitados ficam em ter certas partes do corpo acariciadas. 

---

Sexo Sem Riscos

Durante a relação sexual, o feto fica muito bem protegido pelo líquido amniótico, pela placenta e por uma mucosa que fecha o colo do útero. Não existe qualquer perigo de que o pênis machuque o bebê.

Durante a gestação, a penetração é até facilitada pois com o aumento de água e de irrigação sangüínea em todo o organismo, a vulva aumenta de tamanho e fica mais lubrificada. Além disso, a produção do hormônio relaxina nesse período, que serve para relaxar as articulações e facilitar o parto, também relaxa a musculatura na região do períneo. 

---

E nos Últimos Meses?

Nos últimos três meses de gestação, os pais temem que possam machucar o bebê durante o ato sexual, o que não ocorre. Apenas em alguns casos bem específicos em que se faz necessário um acompanhamento médico, é que se aconselha evitar o sexo. Há mulheres que não se sentem bem com seu corpo por se acharem gordas e feias e há homens que não ajudam a minimizar este quadro, dificultando a sexualidade.

---

Outras matérias sobre este assunto:

As primeiras mudanças no seu corpo

topo


 

 

[HOME] [E-MAIL] [SEMANA A SEMANA] [MÉDICOS&CLÍNICAS] [SEXO] [DIETA] [PARTO] [EXAMES] [SAÚDE]
[ENXOVAL] [EXERCÍCIOS] [HORÓSCOPO] [NOMES] [TESTES]

copyright©2000 by CompuClass Informática Ltda